Artigo, Ninja Financeiro, Varejo Inteligente

Precificação de produtos: você está fazendo isso errado

01/04/2016

precificação de produtos

A precificação consiste em fazer uma profunda avaliação para identificar qual é o preço que alia competitividade, atratividade e lucratividade para o seu negócio.

Se você falhar em atender a um desses requisitos, o seu negócio vai perder em desempenho e, dependendo, você pode não obter os retornos sobre os investimentos desejados.

O fato é que muitos empreendedores não precificam da maneira correta e, com isso, colocam o negócio em risco. Veja a seguir alguns desses erros, e descubra se você está fazendo do jeito certo ou não!

 

Você não está levando em conta as despesas fixas da loja

O aluguel do ponto da sua loja, a conta de luz, de água e os gastos com funcionários são algumas das despesas do seu negócio. Esses gastos são deduzidos do valor que você recebe do total de vendas e impactam diretamente o seu lucro líquido.

Mas o que isso tem a ver com a precificação? Simples: se você não diluir esses custos no preço dos produtos, então você está precificando de maneira errada.

O preço de um produto não deve levar em conta somente o quanto você gastou para comprá-lo ou para produzi-lo, mas também todo o custo operacional que envolve manter a sua loja funcionando e vendendo. Do contrário, você vai acabar pagando para trabalhar.

 

Os impostos devem ser considerados corretamente

Outro erro que você pode estar cometendo agora é o de deixar os impostos embutidos de fora do preço.

Pense da seguinte maneira: se os impostos são cobrados e você não pode fugir deles e se eles não estão inclusos no preço, então quem paga esse valor é você. Sendo você o responsável por pagar os impostos embutidos, o resultado é que a margem de lucro acaba diminuindo e junto vai a lucratividade do negócio.

Nossa estrutura tributária é muito complexa e esta diretamente relacionada à precificação. São vários regimes tributários, alíquotas diferentes e recuperações, através créditos, que dependem desses regimes. Se não forem considerados corretamente, levarão a erros importantes nos preços praticados.

 

Seu preço é cópia do concorrente

Mais um indício de que você está precificando errado: você está copiando o preço do concorrente.

Essa é uma péssima atitude pelo simples fato de que, ao fazer isso, você não está considerando quais são os custos do seu negócio e como a sua estrutura impacta no preço do produto final, além de não observar que seus investimentos e objetivos de retorno são diferentes dos concorrentes.

Assim, ao copiar o preço do concorrente sem uma avaliação existem duas possibilidades.

  • A primeira é que você vai determinar um valor que não cobre os seus custos de maneira satisfatória e vai perder em lucratividade.
  • A segunda é que você vai cobrar mais do que deveria e, com isso, vai perder em competitividade.

# Insight: Além dos pontos citados neste artigo, é importante estar antenado a todas as características da formação de preço. Abordamos este conteúdo no nosso eBook:

eBook Guia de Formação de Preços do Varejo

 

O valor está muito abaixo do mercado

Falando em competitividade, é muito comum passar um pensamento de quem quer se destacar: cobrar o menor preço possível, custe o que custar.

O problema reside no fato de que ao querer cobrar o preço mais baixo do mercado, não necessariamente, você vai considerar o valor dos seus custos operacionais.

Com isso, se a sua precificação se basear apenas em cobrar o preço mais barato do mercado, serão grandes as chances de que você comece a ver o seu negócio dar prejuízo.

Na precificação de produtos, se você estiver fazendo alguma das atitudes acima significa que você está errando na definição do preço. Assim, é necessário fazer uma nova avaliação para definir um preço justo e que garanta as chances de sucesso para o seu negócio.

Caso contrário, em pouco tempo você vai se ver em apuros para manter o seu empreendimento saudável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *