Por que preciso controlar o capital de giro da minha empresa?


Uma das maiores dúvidas que os nossos clientes possuem é como controlar o capital de giro e principalmente, entendê-lo.

Além disso, é comum encontrar empresárias(os) que não entendem a importância de mensurar esse indicador e controlá-lo.

Foi pensando nisso, que decidimos criar este artigo para te mostrar a importância e os impactos do mesmo, na sua empresa. Continue lendo!

Em poucas palavras, o que é o Capital de Giro?

Para entender esse indicador, precisamos primeiro, entender que toda empresa possui capital de giro e sem o mesmo, ela não sobrevive.

Tudo isso porque o capital de giro é o indicador que mede a quantidade de capital necessário para manter os processos da empresa, em dia.

Como a compra de um produto ou o pagamento aos fornecedores, por exemplo.

Se não houver um capital retido em caixa para quitar essas obrigações, teríamos a falta de capital de giro na empresa.

Em muitos casos, empresas utilizam de empréstimos para manter a operação em dia e há casos de empresas que dão férias coletivas para amenizar os impactos dessa falta de dinheiro em caixa.

Pense o capital de giro como o combustível de um carro

É exatamente isso que você leu.

Assim como um carro, que precisa de combustível para rodar, a nossa empresa precisa de capital para se manter.

 

carro sendo abastecido

 

Haverá empresas que conseguem sobreviver com pouco e outras precisam de muito capital, da mesma forma que é um carro.

Alguns modelos conseguem rodar mais quilômetros consumindo muita ou pouca gasolina.

Tudo isso porque a forma como o carro é fabricado (motor, rodas, amortecimento, etc) e cuidado (check-ups, gasolina de qualidade, etc), o ajuda a ter uma performance melhor que outros modelos.

Agora pare e pense na sua empresa.

A forma como você gerencia os seus processos de compra e venda, principalmente, podem estar fazendo com que a sua empresa precise de mais capital do que o necessário.

E em alguns casos, encurtando a vida útil da mesma.

Agora que entendemos o conceito do capital de giro, vamos entrar um pouco mais na operação.

Relação: Capital de Giro e Falta de Caixa

Não mensurar e trabalhar formas que otimizem o capital de giro, podem causar um problema muito comum, no varejo – A falta de caixa.

Na maioria das vezes, essa falta de caixa pode ser percebida no fato da empresa vender e não ver a cor do dinheiro.

 

Não sabem o capital de giro

 

E para entender essa situação, devemos voltar ao conceito do capital de giro – indicador que mede o capital necessário para manter tudo em dia.

Com essa definição, podemos supor que a empresa possui um capital de giro tão elevado, que a mesma usa todos os recebimentos para rodar o negócio.

Se essa situação estiver acontecendo na sua empresa, se acalme.

Nós escrevemos um artigo que pode te ajudar, listamos 4 estratégias que mostram como reduzir a falta de caixa.

Ao longo dessa conversa, vamos dar mais dicas de como sair dessa situação.

Mas antes, vamos entender um outro ponto que influencia o capital de giro, os produtos.

Tipos de Produtos que influenciam o Capital de Giro 

Quando falamos desse indicador, geralmente estamos olhando a empresa como um todo.

Mas se entrarmos na operação, podemos encontrar os principais fatores que contribuem para o crescimento ou redução do capital de giro.

No varejo, estamos falando da venda de produtos, que podem ser tomadores ou geradores de caixa.

Produtos Tomadores de Caixa

Basicamente, um produto é chamado de tomador de caixa, quando precisamos primeiro, pagá-lo para assim, vendê-lo.

Isso significa que temos que lidar com a compra do produto, fornecedores, estoque e após tudo isso, quando a venda for realizada, você receberá o valor dessa venda.

Para as empresas que formam estoques enormes e não conseguem vendê-los na mesma proporção que os compram, não é interessante ter produtos assim.

Visto que o dinheiro que foi utilizado nessa aquisição está congelado e ficará assim, até a venda desses produtos acontecer.

O que pode levar dias, semanas e em alguns casos, meses ou anos.

Aqui no Preço Certo, gostamos de dizer que esse tipo de produto gosta de dar “bom dia” ao empresário(a), assim que ele(a) chega na empresa.

DETALHE: O produto tomador de caixa é indicado pelo capital de giro negativo.

Dessa forma, entendemos o valor negativo como uma saída, que caracteriza a tomada de caixa, na comercialização do produto.

Produtos Geradores de Caixa

Um produto é chamado de gerador de caixa, quando o valor da sua venda, entra em conta antes mesmo de ter saído.

Nisso, estamos nos referindo ao pagamento ao fornecedor e demais despesas da empresa.

Com esse tipo de produto, encontramos uma forma de alavancar a empresa, usando o valor das vendas, para manter a aquisição de novos produtos e assim por diante.

Mas cuidado, nem tudo são flores.

Um erro comum de muitas empresas é acreditar que o capital de giro de um produto gerador de caixa é lucro e utilizam o mesmo em outras áreas dentro da empresa.

Quando na verdade, não é.

Por mais que o produto “se pague”, é preciso honrar com os compromissos da empresa e é nessas horas, que o/a empresário(a) se enrola.

Ao não reservar caixa suficiente.

DETALHE: O produto gerador de caixa é indicado pelo capital de giro positivo.

Dessa forma, entendemos o valor positivo como uma entrada, que caracteriza a geração de caixa, na comercialização do produto.

Bônus: Como ter controle do Capital de Giro

Agora que nós entendemos a importância de controlar o capital de giro e alguns conceitos que confundem muitas pessoas, vamos controlar esse indicador.

Para te ajudar nesse processo, estamos disponibilizando esta calculadora de capital de giro.

E à seguir, vamos explicar cada um dos pontos que você precisa saber para mensurar esse indicador e extrair o máximo dessa calculadora.

Prazo de Pagamento ao Fornecedor

A primeira métrica que você precisa entender é que o prazo de pagamento ao seu fornecedor vai impactar no seu capital de giro.

Lembrar-se que, ao início da conversa, falamos que as condições de compra e venda vão impactar nesse indicador?

Basicamente, esse é o número médio de dias que você tem para cumprir com essa obrigação.

Quanto maior o número de dias que você ganhar para pagar o seu fornecedor, maior será a chance de transformar o produto tomador em gerador de caixa.

Dias em Estoque

Os dias em estoque são uma média de dias que você fica com o produto, desde o seu recebimento até a venda.

Controlar essa métrica é importante para entender se o volume de produtos que você está comprando é realmente necessário.

Como por exemplo, para vender apenas 1 produto, você leva em média 7 dias (desde o recebimento até a venda) – Logo, não faria muito sentido você armazenar esse produto por 60 dias, concorda?

O dinheiro investido nessa compra, poderia ser melhor utilizado em outras áreas dentro da empresa.

Prazo de Recebimento

Essa métrica calcula o tempo médio que leva, desde o ato da compra, até o recebimento da venda junto ao negócio.

Entender o prazo de recebimento nos ajuda a perceber que estimular meios de pagamento que aceleram a entrada de caixa nos ajudarão a ter mais produtos geradores de caixa.

Agora que você entendeu as métricas mais importantes desse indicador, você pode baixar a sua calculadora de capital de giro.

Calcule o seu capital de giro

 

Caso de Sucesso: Como reduzir em 85% o Capital de Giro da empresa?

A Bimper é empresa especializada na fabricação de quadros decorativos e sofria com alguns problemas de caixa.

Com o método do Preço Certo, que uniu ferramenta e assessoria para tomar decisões mais rápidas, foi possível reduzir em mais de 85% a necessidade de capital de giro da empresa.

Para entendermos o impacto desse resultado, pense que a sua empresa precisa de R$100.000 todos os meses para funcionar.

E após os planos de ação e ajustes nas margens, a empresa passasse a precisar de apenas R$15.000.

Esse caso de sucesso é realmente incrível e você pode conhecê-lo clicando neste link.

Conclusão

Entender o capital de giro é fundamental para que toda e qualquer empresa consiga sobreviver e crescer.

À medida em que a empresa cresce, esse indicador cresce na mesma proporção e dessa forma, é preciso ter muito cuidado com as suas margens.

Analise as suas métricas de recebimento e utilize a planilha que compartilhamos com você, para realizar testes nas suas condições de compra e venda.

Por fim, se você quiser saber um pouco mais sobre o mundo dos indicadores financeiros, te convidamos a conhecer este guia de indicadores financeiros.

Saiba tudo sobre precificação aliada a Indicadores financeiros

 

 

Conteúdos Relacionados com Indicadores

Lucratividade da empresa: saiba como aumentá-la

Apuração do lucro: Como e por que calculá-lo todo mês

Lucratividade e rentabilidade: quais as diferenças?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.