Ninja Financeiro

Capital de giro: qual a sua importância e como organizá-lo?

06/12/2016

capital de giro

Para que uma empresa se mantenha no mercado da maneira adequada, é fundamental que ela conte com recursos de reservas e que financiem suas operações. Esses recursos compõem o que é conhecido como capital de giro, um dos elementos mais importantes para qualquer negócio.

Portanto, independentemente do tamanho do negócio, é fundamental que esse recurso seja calculado corretamente e que esteja organizado e disponível da forma certa.

Eventualmente, ele pode ser utilizado tanto para evitar riscos quanto para aproveitar oportunidades que surjam para o empreendimento.

Pensando nisso, no post de hoje explicaremos melhor qual é a importância desse elemento. Continue lendo e entenda como é possível organizá-lo!

 

O que é capital de giro?

Como dissemos, o capital de giro pode ser definido como a quantidade de recursos que é necessária para manter os processos do negócio dentro de um determinado período de tempo.

A origem do termo vem de muitos séculos atrás e, embora imprecisa, acredita-se que seja a forma como comerciantes ianques se referiam à mercadoria que era vendida e que fazia com que os lucros aparecessem.

Hoje, no cotidiano dos pequenos comerciantes, ele é encarado como um dinheiro utilizado para situações de emergência ou para dar mais estabilidade ao negócio. Ainda assim, muitos comerciantes acabam deixando esse conceito de lado, colocando o próprio negócio em risco.

 

Qual é a sua importância?

Nesse sentido, a importância do capital de giro para o negócio diz respeito à sua segurança de uma maneira geral. Sem ele, o negócio pode sofrer ao encarar uma baixa inesperada de vendas, por exemplo, deixando de cumprir seus compromissos.

Isso leva à inadimplência, irregularidade e, frequentemente, até ao fechamento do negócio. E a falta de capital de giro também prejudica a continuidade do negócio, que se torna mais instável e muito mais dependente das condições de mercado como um todo.

A falta desse capital ainda pode fazer com que o negócio perca boas oportunidades. Afinal, sem recursos para fazer um bom investimento, o empreendimento pode perder competitividade.

Por outro lado, um bom planejamento a respeito desse capital é uma atitude que pode dar lucro e até mesmo salvar uma empresa, garantindo resultados de sucesso. Sua definição, portanto, normalmente está associada ao sucesso ou fracasso de empresas diversas.

Esse cuidado, inclusive, deve estar presente desde o começo do empreendimento. Como, no início, o negócio ainda não conta com clientes, é justamente um capital de giro bem dimensionado e disponível que vai permitir que a empresa supere seus obstáculos iniciais.

Enfim, mesmo quando o negócio já estiver estabelecido, ter esses recursos disponíveis é uma forma de garantir uma gestão financeira adequada.

 

Como fazer o seu cálculo?

Para fazer o cálculo do capital de giro, é preciso levar em conta os passivos e os ativos circulantes.

Os ativos circulantes (AC) são todos os valores que o negócio possui, como dinheiro em caixa, contas a receber e valor de estoque. Já os passivos circulantes (PC) são as saídas de caixa do negócio, como contas a pagar, parcelas de financiamento e outros débitos.

Nesse sentido, a fórmula do capital de giro é dada por:

capital de giro = ativos circulantes – passivos circulantes

# Insight: Não apenas o Capital do Giro, aprenda todos os indicadores financeiros que impactam seu negócio diretamente com nosso eBook:

eBook Guia de Indicadores Financeiros

 

Qual é a sua relação com o controle de estoque?

Pela fórmula, é possível notar que o capital de giro se relaciona diretamente com o controle de estoque. Aliás, por mais que muitos se esqueçam, o estoque também é dinheiro, só que em forma de capital imobilizado. 

Além disso, ele também entra no somatório dos ativos circulantes e impacta o dimensionamento do capital de giro. Então, quando o estoque é muito grande, a necessidade desse tipo de capital também aumenta, o que obriga o negócio a imobilizar uma grande quantidade de recursos. 

Por outro lado, um estoque muito pequeno pode gerar desabastecimento, de modo a reduzir o faturamento. Além disso, é importante pensar na precificação dos produtos. Ao ter itens com preços adequados, a margem de lucro aumenta e o capital de giro é obtido mais facilmente. 

Ainda assim, uma precificação inadequada gera um desequilíbrio, pois preços baixos demais geram prejuízos e preços muito elevados não levam a vendas.

Do contrário, ao definir o preço da maneira certa, as vendas acontecem dentro de patamares adequados e mais previsíveis, o que ajuda no controle dos valores necessários para formar esse capital.

 

Como organizá-lo corretamente?

Após realizar o cálculo adequado do capital de giro e entender a sua relação com o controle de estoque, é essencial fazer uma organização adequada dos valores. Um capital de giro organizado incorretamente pode ser tão prejudicial quanto um que seja inexistente, então é importante ficar de olho.

  • Já que a precificação é tão importante para os resultados, vale a pena, por exemplo, utilizar ferramentas que auxiliem na formação de preços dos produtos e dos serviços.

Isso evita perda de produtividade, erros no encontro do valor e também, garante um fôlego a mais para vencer a concorrência. E, quanto ao capital de giro, é uma ferramenta que colabora para o equilíbrio do cálculo.

  • Outra possibilidade diz respeito às ferramentas que permitam a realização de simulação financeira para negócios. Isso porque o cálculo do capital de giro leva em consideração as contas a pagar e a receber, sendo que essas tendem a ser mais imprevisíveis. 

Logo, com uma simulação, é possível ter mais segurança nessa definição. Inclusive, essas ferramentas permitem a simulação de diversos cenários diferentes, o que colabora para evitar imprevistos quanto à necessidade de recursos.

  • Ainda, de uma maneira geral, também tende a ser benéfico utilizar ferramentas voltadas para o controle financeiro, como um sistema de gestão, de forma a garantir ainda mais visibilidade sobre a situação financeira do negócio.

Enfim, o capital de giro é fundamental porque ele é o responsável por financiar diversas operações do negócio, além de ajudar no ganho de robustez contra imprevistos e situações adversas.

Ele está diretamente relacionado, dentre outras coisas, ao controle de estoque e à precificação de produtos e serviços. Com isso, usar as ferramentas adequadas faz a diferença para que ele seja organizado de maneira vantajosa e mesmo competitiva para o empreendimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *