O que é fluxo de caixa? Entenda tudo sobre o assunto, como criar e cuidados que devemos tomar


Analisar o Fluxo de Caixa é um dos processos mais importantes de toda empresa.

Sem o seu devido controle, o negócio pode deixar se colocar em uma situação arriscada de não conseguir honrar com suas as obrigações financeiras

Além disso, muitas(os) empresárias(os) pecam ao não entender se o que realmente está no caixa da empresa é um dinheiro que pode ser utilizado ou não.

É por esse e muitos outros motivos, que vão tratados aqui, que eu vou explicar para você o que é o fluxo de caixa, como criamos e analisamos um e algumas curiosidades que talvez você não saiba!

Vamos lá?

 

O que é fluxo de caixa?

O Fluxo de Caixa é o fluxo que o dinheiro percorre dentro da empresa, desde a sua chegada ao caixa da empresa até a sua saída, sendo formado basicamente por contas a pagar e contas a receber.

Podemos analisar um fluxo de caixa com base em dias, semanas e meses.

Quanto mais detalhado for, maior será a visão e clareza que vamos ter do fluxo que o dinheiro percorreu dentro do negócio.

Como por exemplo:

  • Um fluxo de caixa diário nos ajuda a entender quais são os dias que mais entrou ou saiu dinheiro da conta, em uma semana ou mês.

Independente da periodicidade que você faça o controle e análises, temos que entender que o fluxo de caixa está a todo momento olhando para o passado, presente e futuro – já vou comentar sobre isso.

Ou seja, olhamos para o que foi gasto e recebido, o que temos que gastar e receber agora e o que vamos gastar e receber no futuro.

Não é a toa que negligenciar o controle do fluxo de caixa é um erro gravíssimo de gestão – e eu vou explicar um pouco mais lá na frente.

 

Demonstrativo de Fluxo de Caixa

Quando falamos sobre esse assunto, é comum ouvir também o termo “demonstrativo de fluxo de caixa”.

Caso você não saiba o seu significado, ele se refere a todas as entradas e saídas que aconteceram e que estão acontecendo naquele momento.

Agora você pode se perguntar: Mas e os recebimentos futuros? E as contas que ainda vou pagar?

Este é o assunto do próximo tópico.

 

Fluxo de Caixa projetado

O fluxo de caixa projetado é a visão que teremos do fluxo do dinheiro no futuro, ou seja, é uma estimativa.

Quando falamos que temos um determinado valor a ser pago daqui a 7 dias, por exemplo, estamos nos referindo a um dos componentes do fluxo de caixa projetado.

Não é a toa que o fluxo de caixa é um processo que não pode ser negligenciado.

 

Entradas e saídas de caixa

Agora vou falar um pouco mais sobre o que forma todo esse fluxo financeiro.

Contas a receber

O contas a receber são todos os direitos que a empresa possui como:

  • valores da venda de produtos;
  • prestação de serviços;
  • Venda de ativos, como: imóveis, maquinário, etc;

Ou quaisquer outras ações que vão aumentar o caixa da empresa são considerados contas a receber.

Contas a pagar

O contas a pagar representa todas as obrigações que a empresa possui, como:

  • Compra de produtos junto a fornecedores;
  • Impostos;
  • Custos variáveis;
  • Custos fixos;

E quaisquer outras obrigações assumidas pelo negócio.

 

Exemplo do fluxo do dinheiro

Abaixo, preparei um exemplo de fluxo de caixa sendo analisado durante uma semana apenas, dê um olhada!

Dia da SemanaDataSaldo InicialReceitaImpostosFornecedoresFuncionáriosDemais CustosSaldo do diaSaldo Final
01/Jan10.0003.0006001.5003.000900-3.0007.000
02/Jan7.0001.50003.0001.500300-3.3003.700
03/Jan3.7006.0000001.5004.5008.200
04/Jan8.2001.0001.5005.0000100-5.6002.600
05/Jan2.60050002.5000350-2.350250
Sáb.06/Jan250000000250
Dom.07/Jan250000000250
Total12.0002.10012.0004.5003.150

Nesse caso, o contas a receber é apenas a receita vinda da venda de produtos e os impostos, fornecedores, funcionários e demais custos são o contas a receber.

Bem prático, concorda?

 

Por que analisar e ter controle do fluxo de caixa?

Como havia comentado anteriormente, ter o controle do Fluxo de Caixa nos permite ter mais clareza sobre o caminho que o dinheiro segue dentro da operação.

Como consequência disso, separei algumas razões para começar esse processo o quanto antes.

 

Controle financeiro

Já teve algum boleto que apareceu na sua empresa e você não sabia de onde ele veio?

Ou alguma situação onde, para pagar uma conta, você teve que retirar o dinheiro que estaria destinado para o pagamento de outra conta?

E até aqueles momentos onde você se pergunta:

 

Por que estou vendendo e não vendo a cor do dinheiro?

 

Se você reconhece alguma dessas situações, saiba que o controle do fluxo de caixa vai te ajudar a enxergar pelo menos algumas respostas.

Apenas um exemplo:

Se estamos vendendo e não vendo a cor do dinheiro, podemos ter 3 possíveis razões:

  • Lucratividade baixa;
  • Ponto de Equilíbrio Operacional não atingido;
  • Capital de giro alta e não otimizado;

Em todas essas 3 possíveis causas, encontramos algo em comum – o contas a pagar é maior que o contas a receber e apenas isso já nos diz que algo está ruim.

Caso você não saiba da importância de ter controle do capital de giro, como calcular o ponto de equilíbrio operacional e até, como calcular a margem de lucro da empresa, esses links podem te ajudar.

No geral, tudo isso é fruto da falta de um controle financeiro, orientado aos números que a empresa possui.

 

Previsibilidade

Deixe-me te perguntar uma coisa – você sabe o quanto vai receber da venda dos seus produtos daqui a duas semanas?

Quando temos a visão e fazemos controle do nosso fluxo de caixa, seja uma planilha ou software, entendemos o quanto e em quanto tempo vamos poder contar ou usar com aquele capital.

Como por exemplo:

  • Quando o fluxo for negativo – quais obrigações podemos priorizar?
  • Se houver atraso nos meus recebíveis, o que posso fazer para evitar futuras dores de cabeça?
  • Qual é o valor das vendas que tenho a receber e quando posso contar com esse dinheiro?

Ao longo dessa conversa, vou te ajudar a não só criar o seu próprio fluxo de caixa, mas a se preparar caso precise responder à alguma dessas perguntas.

Enquanto isso, você pode baixar a nossa planilha de controle financeiro e ir acompanhando o assunto aqui, junto comigo.

Planilha Controle Financeiro

 

Como elaborar um fluxo de caixa?

Para elaborar o fluxo de caixa, precisamos levar em consideração alguns pontos, que são:

  • Valor inicial do caixa da empresa;
  • Diferenciação entre o que é entrada e saída;
  • Categorização dos mesmos;
  • Apuração de todos esses valores;
  • Registro das informações;
  • Acompanhamento e controle;

Agora, vou explicar etapa por etapa para você.

Mas antes, recomendo baixar a nossa planilha de controle financeiro pois ficará muito mais fácil.

 

Etapa 1: Valor inicial do caixa da empresa

A primeira etapa da elaboração do fluxo de caixa é bem simples, basta você olhar para o caixa atual da empresa e registrar o valor que você encontrou.

É o nosso ponto de partida!

pessoas começando uma corrida

 

Etapa 2: Diferenciação entre o que é entrada e saída

A segunda etapa é bem simples também, ela envolve entender e diferenciar o que é que vai entrar e o que vai sair do bolso da(o) empresária(o).

Minhas vendas de produtos, venda de um determinado equipamento ou qualquer outro ativo que me gere receita é o meu contas a receber.

Impostos, pagamento dos fornecedores, funcionários e demais obrigações é o contas a pagar.

 

Etapa 3: Categorização dos mesmos

A terceira etapa envolve organizar todas as entradas e saídas que localizamos anteriormente de uma forma que fique claro para você a finalidade daquele custo ou receita.

Como por exemplo: se eu tenho 10 fornecedores a pagar e quero ter apenas uma visão dos valores que pago a todos os fornecedores em geral, posso categorizar todos apenas como “Fornecedores”.

Essa etapa é muito importante para termos uma visão do caminho que o dinheiro está tomando dentro do negócio.

 

Etapa 4: Apuração de todos esses valores

Na quarta etapa nós apurar o valor financeiro que teremos que pagar ou receber dentro de cada uma das categorias que nós criamos.

No meu exemplo anterior, eu tinha 10 fornecedores e precisaria apurar todos os valores que preciso pagar a cada um deles e quando preciso pagá-los.

Repita esse processo para todas as categorias que você criou, tanto no contas a pagar quanto no contas a receber.

 

Etapa 5: Registro das informações

Agora que nós temos cada um dos valores categorizados e apurados, nós vamos registrá-los na nossa planilha ou software.

Primeiro, defina um período para fazer esses registros e depois, comece a organizar as contas.

Se eu apurei que tenho um pagamento a receber daqui a 10 dias, vou projetá-lo como receita daqui a 10 dias –  apenas um exemplo.

 

Etapa 6: Acompanhamento e controle

A sexta etapa é a manutenção do que foi feito nas 5 etapas anteriores, ou seja, será preciso manter atualizados os números sempre que houver alguma mudança.

Surgiu uma nova venda? Precisamos registrar.

O fornecedor nos ofereceu mais prazo para pagá-lo? Vamos aceitar em prol do nosso capital de giro e projetar esse gasto.

Como você pôde perceber, elaborar um fluxo de caixa não é complicado.

Basta quebrarmos em pequenas atividades que, uma vez finalizadas, nos ajudarão a ter resultados incríveis!

Na planilha que te convidei para conhecer, você já economiza um bom tempo visto que ela te ajuda a diferenciar e categorizar cada um dos valores.

Além disso, há sistemas integrados de gestão (ERP’s) que podem te ajudar nessa jornada, caso você não saiba o que é um erp, basta clicar no link que nós explicamos.

 

Qual é a relação do fluxo de caixa com o capital de giro?

Quando falamos de fluxo de caixa, estamos nos referindo ao caminho que o dinheiro percorre dentro da empresa e agora vem a pergunta: quanto de dinheiro a nossa empresa realmente precisa para se manter em pé?

É aí que entra o capital de giro, indicador responsável pela manutenção dos processos, como o pagamento a fornecedores, por exemplo.

Analisar a necessidade de capital de giro da empresa é fundamental para buscar maneiras de otimizações, como um adiantamento de recebíveis ou evitar estoque parado na loja.

Digamos que você pagou um fornecedor à vista, concorda que até realizar a venda desse estoque será necessário um capital para arcar com essa compra?

Imagine se houver mais de um fornecedor, teremos que ter ainda mais capital provisionado, concorda?

Separei este vídeo, do canal da Preço Certo no YouTube, para explicar um pouco mais sobre o assunto.

 

Ah, esta é a calculadora de capital de giro que mencionamos no vídeo.

No final das contas, todo aquele valor inicial que tínhamos em caixa será usado e um dos maiores problemas do varejo começa a aparecer, que é o descontrole do capital de giro.

Onde a empresa vende, mas não vê o valor dessas vendas em conta.

Nesse caso a empresa pode até ser lucrativa, mas pelo fato do contas a pagar ser maior que o contas a receber naquele período.

Procure equilibrar esses 3 indicadores para ter uma empresa saudável:

  • Faturamento;
  • Margem de Contribuição;
  • Capital de Giro;

Assim você garantirá que além de ter vendas, elas vão gerar lucro e o fluxo de caixa estará equilibrado.

Além disso, separei também este vídeo para explicar um pouco mais.

 

Uma olhada final para o Fluxo de Caixa

Agora que nós entendemos o que é fluxo de caixa, como elaborar um e alguns cuidados que precisamos ter, vou resumir uma série de fatores que podem alterar ou não o caixa da empresa.

 

O que diminui o caixa da empresa?

Segue alguns fatores que diminuem o caixa da sua empresa:

  • Pagamentos a fornecedores, principalmente à vista;
  • Pagamentos de impostos;
  • Pagamentos de despesas, custos fixos e variáveis;
  • Pagamentos de dividendos;

 

O que aumenta o caixa da empresa?

Segue alguns fatores que aumentam o caixa da sua empresa:

  • Adiantamento de recebíveis;
  • Vendas realizadas à vista (boleto bancário é um ótimo meio);
  • Novos financiamentos e empréstimos;
  • Injeção de capital próprio;

 

O que não altera o caixa da empresa?

Segue alguns fatores que não alteram o caixa da sua empresa:

  • Compras e vendas a prazo;
  • Depreciação;
  • Amortização;
  • Correções e variações monetárias;

Bom, espero que essas listas te se tornem um material de consulta para que você tome decisões no futuro.

 

Todos prontos para controlar o Fluxo de Caixa?

Estamos chegando ao fim dessa conversa e tenho dois convites para você.

O primeiro já foi feito, mas vou fazê-lo novamente caso você ainda não tenha baixado a nossa planilha de controle financeiro para empresas.

E o segundo convite é para o nosso treinamento gratuito de maximização de lucro com precificação e fluxo de caixa.

Lucratividade com precificação e fluxo de caixa

 

 

Conteúdos Relacionados com Gestão

1 comentário em “O que é fluxo de caixa? Entenda tudo sobre o assunto, como criar e cuidados que devemos tomar”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.