O que é CMV e como calcular o da sua empresa


O CMV ou Custo de Mercadoria Vendida é um dos principais recursos da contabilidade que ajudam a manter a segurança e visão da saúde financeira de um negócio.

Como você deve saber, gerir uma empresa é uma tarefa de grande responsabilidade.

E quando se trata da parte financeira, então, esse compromisso aumenta e fica ainda mais delicado. 

Por mais que os serviços contábeis sejam executados por pessoas da área, é fundamental estar ciente sobre os cálculos mais necessários, como eles funcionam e por que são tão essenciais.

Neste artigo, vou explicar um pouco sobre o que é o Custo de Mercadoria Vendida, a sua importância, como calculá-lo e muito mais!

Você vai perceber que muitas vezes um cálculo simples pode salvar a sua organização de um grande desastre financeiro.

Compreenderá também que cada detalhe de receitas e despesas deve ser observado para, assim, se obter sucesso no empreendimento e uma boa gestão. Vamos lá!

O que é o CMV?

O CMV ou Custo de Mercadoria Vendida é o cálculo detalhado de todas as despesas obtidas durante o processo de venda de uma mercadoria.

No cálculo, incluímos os custos com produção, transporte, armazenamento e cada detalhe que antecede a sua venda.

Esse cálculo ajuda a ter uma visão correta sobre os gastos e lucros do negócio, além de ajudar você a decidir a melhor formação de preços para cada uma das mercadorias.

 

Qual a importância do CMV?

O CMV é fundamental, pois te dará a real noção do quanto você gastou para que o seu produto chegue na sua prateleira — física ou virtual.

Ao desprezar os detalhes desse processo, até os mais simples, perde-se em lucro…

Aliás, o simples fato de ocupar a prateleira já lhe gera custos para a organização e o CMV também abrange esse fato.

Sua importância está no fato de mostrar a realidade nua e crua para os gestores e, consequentemente, apontar os itens que precisam de revisão e adequação, para que não causem prejuízos em vez de gerar lucro.

A falta de cálculo do CMV pode ser extremamente nociva para a saúde do negócio. Ela é essencial.

A correta definição desse custo faz parte de uma gestão eficiente e segura.

 

O que preciso saber antes de calcular o CMV?

Para calcular corretamente o CMV, é preciso, antes de tudo, organizar corretamente o estoque e os insumos da sua empresa e manter essas listas atualizadas.

Isso porque, para chegar a um resultado correto, você precisará desses dados.

Inventário e controle de estoque

Identificação, contagem e classificação de todos os produtos disponíveis no estoque da empresa.

Ajuda não só a controlar a entrada e saída de mercadorias, mas a manter os pedidos dos clientes sempre disponíveis.

A organização é fundamental por vários motivos. O primeiro deles é que você consegue analisar o cenário, compreender o que está faltando ou sobrando e, assim, manter um fluxo de compras ideal — nem para mais, nem para menos —, fazendo o estoque girar e gerar lucros.

Em segundo lugar, a organização permitirá uma conta mais apurada do valor do CMV, já que esse cálculo depende de números de estoque, compras, vendas e devoluções.

Se você deseja entender como fazer isso, dê uma conferida no vídeo abaixo:

Existem algumas formas de fazer o controle de estoque e são elas:

Inventário Permanente

Já nesse caso, o estoque é contabilizado de forma contínua, sendo efetuada a baixa quando um produto é vendido, a soma quando um produto é comprado e até mesmo a volta quando um produto é devolvido.

Inventário Periódico

Nesse caso, o estoque é contabilizado de forma manual em períodos definidos de tempo, ou seja, fazemos a contagem presencial dos estoques.

Deixarei aqui, o nosso Guia Completo de Gestão de Estoque, ele conseguirá te ajudar nesse processo!

 

Como calcular o Custo de Mercadoria Vendida

Com o controle de estoque, custos e inventário organizado e atualizados, fica mais simples fazer o cálculo correto.

Para cada tipo de gestão de inventário, temos uma forma de calcular o CMV. Sendo assim, temos:

Calculando com o Inventário Periódico

CMV = Ei + C + EF

Onde:

  • Ei = Estoque inicial;
  • C = Compras;
  • EF = Estoque Final.

 

Agora vamos fazer um exemplo na prática!

Exemplo do cálculo por inventário periódico

No começo do mês, você possui R$10.000 em mercadorias no seu estoque.

Ao longo desse período, seu setor de compras investiu mais de R$3.500 em mercadorias.

Depois de 30 dias, o estoque chega a R$500.

Aplicando esses números na fórmula, temos:

CMV = 10.000 + 3.500 – 500

Com esses valores, podemos dizer que o seu CMV é de: R$13.000.

 

Calculando com o Inventário Permanente

Já para esse caso temos:

CMV = EI + C + DC – DV – EF

Onde:

  • Ei = Estoque inicial;
  • DC = Devoluções de compras;
  • DV = Devoluções de vendas;
  • C = Compras;
  • EF = Estoque Final.

 

Agora vamos fazer um exemplo na prática!

Exemplo do cálculo por inventário permanente

No começo do mês, você possui R$50.000 em mercadorias no seu estoque.

Ao longo desse período, seu setor de compras investiu mais de R$10.500 em mercadorias.

Infelizmente, cerca de R$2.000 em mercadoria que sua empresa comprou veio com defeito e você devolveu. E cerca de R$8.000 em mercadorias foram compradas, mas devolvidas.

Depois de 30 dias, o estoque chega a R$900.

Aplicando esses números na fórmula, temos:

CMV = 50.000 + 10.500 + 2.000 – 8.000 – 900

Com esses valores, podemos dizer que o seu CMV é de: R$ 53.600

Agora, descobrir o que é CMV dos seus produtos é fundamental para a composição de um outro cálculo que também é muito importante a margem de contribuição.

 

ENTENDA TUDO SOBRE CUSTOS

 

Qual é a relação da margem de contribuição com o CMV?

A margem de contribuição é o recurso (em dinheiro) que sobra da receita obtida por meio da venda das mercadorias.

Isso, claro, após retirar o valor dos custos diretos.

É importante acompanhar esse valor bem de perto para que não se corra o risco de cobrar menos do que o devido sobre a mercadoria e, assim, gerar prejuízos para o negócio.

Caso haja dúvidas em relação a sua margem, separei um exemplo prático no próximo tópico!

 

Cálculo da margem de contribuição utilizando o CMV

Para calcular a margem de contribuição, é necessário usar a seguinte fórmula:

MC = PV – (CMV+DV)

Onde:

  • MC = Margem de Contribuição Unitária;
  • PV= Preço de Venda Unitária;
  • CMV = Custo de Mercadoria Vendida;
  • DV = Despesa Variável Unitária.

Analisando um cenário fictício, por exemplo, onde sua empresa vende copos decorados:

  • o preço do copo é R$7;
  • você vendeu 500 copos no mês passado;
  • o custo do copo (fornecedor) é de R$3;
  • os impostos, juntos, somam 10%;
  • as comissões da equipe de vendas 3%.

Nesse caso:

  • receitas: 7×500 = 3.500
  • custo mercadorias vendidas: 3×500 = 1.500
  • despesas variáveis: (R$7 x 500 x 0,1) + (R$7 x 500 x 0,03) = 350+105 = 455

O cálculo da margem de contribuição fica, então, assim:

 3.500 – (1.500+455) = 3.500-1955 =1.545

A margem de contribuição é R$1.545.

Calculando esse valor, é possível compreender se as suas vendas estão ou não sendo suficientes para reabastecer o estoque, pagar todas as despesas, comissões de vendedores e ainda oferecer lucro.

Lidar com o varejo é uma tarefa que exige muito esforço e dedicação; tanto para manter seus estoques em dia, atendendo às necessidades do cliente, quanto para acompanhar a entrada e saída de mercadorias.

Além disso, é preciso verificar os valores e trabalhar por uma precificação eficaz e lucrativa para a empresa.

Nesses momentos, um sistema de precificação pode lhe auxiliar!

Espero que este texto tenha te ajudado a não só entender o que é o CMV, mas tenha te auxiliado a calcular o custo de mercadorias do seu negócio.

Mas não acaba por aí, te convido a assistir o nosso Webinar de Precificação de Produtos!

Webinar de Precificação de Produtos

 

 

Conteúdos Relacionados com Gestão

1 comentário em “O que é CMV e como calcular o da sua empresa”

  1. Artur Rodrigues

    No exemplo prático para o cálculo do CMV, o resultado correto seria R$ 13.000,00 ao invés de R$ 11.000,00.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.