Custos Variáveis: O que são, exemplos e como categorizar


Os custos variáveis de uma empresa, quando bem classificados, ajudam o gestor a ter uma visão clara da margem de contribuição de cada venda.

Com uma boa análise, é possível identificar cada atributo e possíveis oportunidades para lucrar mais.

Para saber mais sobre o assunto, acompanhe este artigo e veja como você pode melhorar os resultados do seu negócio conhecendo melhor os seus custos variáveis!

O que são custos variáveis?

Os custos variáveis são os custos que estão relacionados ao volume de vendas ou produção, ou seja, quanto maior é o volume de vendas, maior será o custo e vice-versa.

O gestor da empresa é o responsável por saber os custos variáveis para identificar possíveis otimizações que incrementarão a margem de contribuição.

 

Exemplos de custos variáveis

Alguns exemplos desse tipo de custos são:

  • As comissões de vendas (loja virtual, marketplace, agência de marketing);
  • Custo da mercadoria;
  • Frete;
  • Brindes;
  • Embalagem;
  • Bonificações;
  • Impostos;
  • Taxa de cartão, antecipação e royalties;
  • Mão de obra;

Os gastos com mão de obra são considerados custos variáveis quando o pagamento é realizado de acordo com a quantidade de unidades produzidas.

Caso você precise contratar um funcionário para dar conta do volume de produção e ele receba um salário fixo, produzindo mais ou menos unidades, esse gasto é considerado um custo fixo.

 

Qual é a diferença entre custo fixo e custo variável?

Como você acabou de saber, o custo variável de um produto está relacionado ao seu processo produtivo/venda como: os impostos que você paga ao emitir uma nota fiscal, uma comissão de vendedor, frete, comissão do marketplace.

E estes gastos devem sempre ser incorporados à formação de preços.

Já os custos fixos são os gastos que precisam ser pagos havendo vendas ou não de forma a viabilizar a operação, como por exemplo: salários, pró-labore, aluguel, contas de luz e água.

Para explicar a diferença entre custo fixo e custo variável, trouxemos o especialista no assunto Roberto Assef.

Com esta explicação, garanto que ficou mais claro a diferença entre os custos fixos e variáveis.

Bem, sabemos a importância de ter conhecimento sobre quais são seus custos fixos e seu detalhamento.

Com isso, te convido a conhecer a nossa planilha de custos fixos, com ela é possível fazer um detalhamento completo dos custos da sua empresa.

Analise e registre os seus custos fixos

 

Erros comuns sobre gestão de custos

Gestão de custos é um conceito que está fortemente ligado à saúde financeira da empresa e, por isso, deve ser bem observado.

Por isso, listamos os maiores erros ligados à gestão de custos para você evitar.

 

Utilizar custos com propaganda como custos variáveis

Isso é um dos erros mais cometidos na hora de categorizar os custos de uma empresa.

Muitos lojistas acreditam que os gastos com Facebook e Google Ads, por mais que variem todos os meses, devem ser considerados como custos variáveis.

Mas na verdade não, os gastos com propaganda são investimentos e não necessariamente vão garantir que haja vendas.

Por exemplo, você pode investir R$1.000 e faturar R$0, os custos por clique ou conversão podem mudar, a página de conversão pode não funcionar.

No fim das contas, investir em mídia paga aumentará as chances de venda, logo eles representam custos fixos.

 

Não considerar os custos variáveis na precificação

Na precificação de um produto é necessário ter conhecimento sobre todos os custos variáveis, afinal, ninguém quer vender sem ter a certeza de que está ganhando dinheiro.

Apesar disso, muitos lojistas não olham para todos os atributos, precificando apenas com base no valor da concorrência ou utilizando o markup a partir do preço de compra do produto.

Dessa forma, é necessário saber todos os custos que a sua empresa possui para não vender sem ver a cor do dinheiro.

Leia Também: Como calcular o custo de um produto

 

Não analisar o fluxo de caixa

O fluxo de caixa representa todas as entradas e saídas da empresa.

Muitos lojistas se atentam apenas ao dinheiro que entra e acreditam estar tudo certo, mas a realidade é que esse recurso que está entrando pode não ser proporcional ao valor que sai do caixa.

Devido a isso, a análise do fluxo de caixa oferece um controle maior sobre o seu caixa e auxilia na tomada de decisão.

 

Qual a relação dos custos variáveis com a precificação?

Os custos variáveis afetam diretamente a margem de lucro do produto e, por isso, devemos ficar de olho neles na hora de fazer a nossa formação de preços.

Como foi possível verificar ao longo deste artigo, esses valores variam de acordo com o volume de vendas e produção e consequentemente devem ser alocados na precificação para que a conta feche no final do mês.

Dessa forma é possível ter previsibilidade do quanto você vai ganhar na venda, através da margem de contribuição.

Com a visão do lucro obtido a cada real faturado, é possível projetar metas de vendas consistentes.

 

Calculadora para calcular o preço de venda

Agora que você entendeu o que são os custos variáveis, a diferença entre eles e o custo fixo e a importância da gestão de custos, podemos dar o próximo passo e utilizar o conhecimento para precificar seus produtos de forma correta.

Para te ajudar com isso, te apresentamos a calculadora de preços da Preço Certo.

Com ela o seu trabalho de precificação será muito mais rápido e eficiente, pois você conseguirá visualizar as suas margens e saber se o preço praticado irá de fato gerar lucro.

Calculadora de preços

 

 

Conteúdos Relacionados com Gestão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.