4 cuidados que você deve tomar ao monitorar preços no e-commerce


O monitoramento de preços no e-commerce é uma prática que a maioria das empresas busca na hora de precificar um produto.

Mas e se eu te dissesse que esse hábito pode ser prejudicial à sua empresa se você usar apenas essas informações para nortear a sua precificação?

Neste artigo irei explicar as razões pelas quais você precisa ter cuidado ao monitorar os preços da concorrência.

Para que serve o monitoramento de preços no e-commerce?

No e-commerce, o monitoramento de preços serve para você entender melhor os máximos e mínimos praticados pela concorrência naquele produto.

Quando utilizado da maneira correta em sua precificação, esse dado nos ajuda a tomar decisões que podem beneficiar a nossa operação, como por exemplo, diferenciar determinado produto para aumentar a sua margem de lucro.

Existem algumas ferramentas de precificação que monitoram os preços do mercado e a Preço Certo não faz parte desse grupo pois nós acreditamos que a formação de preços precisa partir da sua estratégia e não do mercado.

Abaixo você verá os quatro motivos pelo qual você deve ter cuidado ao precificação de acordo com a concorrência.

  • Cada empresa possui uma estratégia;
  • O mercado precifica errado;
  • Cada negócio possui as suas características;
  • A conta pode não fechar ao fim do mês;

E certamente esses motivos te ajudarão a entender o motivo pelo qual não monitoramos a concorrência.

 

[Baixe Gratuitamente] Calculadora de preços para e-commerce

 

1. Cada empresa possui uma estratégia

O primeiro ponto que você precisa considerar antes de usar os preços da concorrência para nortear a sua precificação é que cada negócio possui uma estratégia.

Ou seja, cada empresa possui um objetivo específico a ser atingido e é através do preço de venda que esse objetivo será alcançado.

Há empresas que buscam ganhar mercado e para isso, elas entendem que as margens de lucro serão apertadas.

Em contrapartida haverá as empresas que buscam se posicionar para um determinado nicho de mercado ou oferecer um determinado valor ao público e é através dessa estratégia que será possível ter uma margem de contribuição um pouco maior.

E claro, haverá empresas que querem apenas predar a concorrência e não se importam de vender no prejuízo – o que é extremamente arriscado.

Ao copiar os preços da concorrência você não sabe qual é a estratégia adotada pelo seu concorrente e nem tão pouco se essa estratégia é aplicada para todo o negócio ou para produtos específicos.

 

2. O mercado precifica errado

O mercado precifica errado, quase 89% para ser mais específico.

Problemas de vendas e precificação

Quando olhamos para a precificação que a maioria das empresas pratica é um cenário meio caótico, onde é comum encontrarmos:

  • Tabelas de preços;
  • Preços chutados;
  • Mark-ups aleatórios;
  • Rateio de custos fixos;

Métodos extremamente ineficientes.

Em muitos casos essas empresas não sabem nem o lucro dessas vendas e literalmente estão no escuro para tomar decisões.

Agora vem a pergunta: você copiaria o preço de alguém que precifica errado?

Leia também: Por que é errado fazer o rateio de custos indiretos?

 

3. Cada negócio possui as suas características

Se cada negócio possui uma estratégia específica, é possível afirmar que haverá características únicas em cada operação também.

Como por exemplo:

  • Estrutura de custos fixos;
  • Políticas de compras;
  • Portfólio de produtos;
  • Objetivo financeiro;
  • Capital de giro;
  • Custos variáveis;

Todos esses fatores tornam o nosso negócio único no mercado e ao mesmo tempo que usamos a concorrência para pautar a nossa precificação, estamos deixando de lado todas as características que tornam a empresa única.

É nessas horas que é possível encontrar cada vez mais empresas vendendo e não vendo a cor do dinheiro.

 

4. A conta pode não fechar ao fim do mês

Quando você está em um mercado que compete unicamente por preços, a tendência é que as margens de lucro sejam cada vez menores.

Isso faz com que a necessidade de faturar cada vez mais aumente para atingirmos o ponto de equilíbrio operacional da empresa.

Um indicador que mede a receita líquida mínima para pagar todos os custos da operação.

exemplo de ponto de equiliíbrio

Neste artigo nós ensinamos como calcular o ponto de equilíbrio operacional, mas entenda que:

  • Margem de contribuição pequena aumenta o ponto de equilíbrio;
  • Margem de contribuição alta diminui o ponto de equilíbrio;

É por conta disso que é possível encontrar empresas que faturam milhões ao mês, mas não conseguem pagar sequer as contas e fecham no prejuízo.

 

Conclusão

Sem dúvidas, o monitoramento de preços e-commerce é uma ferramenta de auxílio para dar mais corpo à precificação, mas jamais deve ser utilizado sozinho.

Defina uma estratégia e tenha controle da sua margem de contribuição antes de monitorar preços para não correr o risco de cair em alguns dos problemas que comentei há pouco.

E para te ajudar a precificar corretamente, separei esta calculadora de preços.

Um material exclusivo da Preço Certo e capaz de nortear a sua precificação de produtos.

Espero que tenha gostado deste artigo e até a próxima!

Planilha de Precificação

 

 

Conteúdos Relacionados com Precificação

2 comentários em “4 cuidados que você deve tomar ao monitorar preços no e-commerce”

  1. Boa noite Lucas.
    Estou pensando em entrar no e-commerce para vendas de produtos de perfumaria e cosmésticos.
    Você dá consultoria?

    1. Lucas Souza

      Boa noite Lucio! Como vai?
      Consultoria em vendas não realizamos :/
      Nós ajudamos empresas a precificar e gerir indicadores financeiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.