4 cenários que a sua empresa pode estar passando neste momento e como agir em cada um deles


O mercado sempre sofre os impactos de uma crise e como consequência as empresas são afetadas de diferentes formas.

Algumas podem sofrer com a baixa em vendas, enquanto outros podem até mesmo vender mais ou ainda manter o mesmo volume de vendas e o seu lucro. O segmento e as estratégias adotadas costumam definir a realidade de cada uma delas.

Mas em geral, há 4 possíveis cenários. Vamos então analisá-los:

1. Sua empresa continua vendendo e gerando lucro?

Se em meio a baixa das vendas você continua vendendo e obtendo lucro, parabéns, é sinal de que a sua estratégia está dando certo e a empresa vai bem! 

Você deve continuar executando as ações para garantir o sucesso da operação, mas lembre-se de manter os olhos abertos para não ser pego de surpresa em meio a uma queda de vendas, por exemplo.

Um dica importante que podemos dar a você, visando a oportunidade de maximizar seus lucros, é trabalhar a desnatação de preço e o incremento marginal.

A desnatação nada mais é do que uma estratégia onde fixamos o preço de um determinado produto que a concorrência não está conseguindo vender, acima do seu preço médio de mercado.

Mas cuidado!

Não confunda desnatação de preço com oportunismo de mercado. Os preços precisam condizer com a realidade, ou então sua empresa será mal vista aos olhos dos consumidores.

Já o incremento marginal é quando você, visando a otimização do lucro com a venda daquele produto, realiza pequenos ajustes em sua margem de lucro, sendo quase imperceptível aos olhos do consumidor. 

Pense por exemplo no seguinte caso: Imagine que você venda canetas por R$ 0,70 a unidade. O volume de vendas mensais é cerca de 1000(mil) canetas, totalizando R$700,00 de faturamento ( 1000 x 0,7 = 700).

Desses R$ 700,00, vamos supor que você coloque R$ 500,00 de lucro no bolso.

Agora suponhamos que você realize um incremento marginal de R$ 0,20 em cada caneta e mantenha o mesmo volume de vendas: 

1000 x 0,2 = 200

Você colocaria no bolso R$ 200,00 a mais, por causa de uma pequena alteração no preço. Percebe a diferença?

Para entender melhor, quero recomendar a você a leitura desse artigo sobre como aumentar a sua lucratividade com o incremento de margens.

2. Sua empresa continua vendendo, mas não está vendo lucro?

Bom, se você vende e não vê a cor do dinheiro, algum problema está acontecendo, provavelmente na sua lucratividade, no capital de giro ou no seu ponto de equilíbrio operacional.

E por experiência aqui no Preço Certo, digo a você que é necessário rever as margens de todos os seus produtos, uma vez que não apurar a margem de contribuição individual e do negócio, é um erro comum no varejo.

E ainda, segundo os dados levantados pelo Preço Certo, em pesquisa com mais de 10 mil lojistas, 96% dos negócios não sabem quanto de capital de giro precisam.

Caso você não saiba, o capital de giro é como se fosse o combustível do seu negócio, é a reserva necessária para manter as operações da sua empresa.

Se a sua precificação não for efetiva, você não lucrará o suficiente para ter manter um capital retido em caixa, levando à falta de capital de giro.

Agora, já pensou na situação dessas empresas ao passar por um cenário de crise e de baixa em vendas como tem acontecido? 

É complicado, porém possível de resolver caso o empresário se dedique à apuração, análise dos indicadores financeiros e à otimização do capital de giro.

Outro fator que você, deve estar atento é em relação aos produtos tomadores de caixa e com pouco giro de estoque, isso porque precisamos, primeiro, pagá-lo para só então, vendê-lo. 

Para deixar mais claro, com produtos tomadores de caixa você precisa lidar com a compra do produto, fornecedores, estoque e após tudo isso, somente quando realizar a venda, você receberá o dinheiro.

Já os com pouco giro de estoque são aqueles que ficam parados, mais difíceis de vender na mesma proporção que você os compra, não é interessante ter produtos assim.

Em ambos os casos temos o congelamento do dinheiro. E esse dinheiro permanecerá congelado até que a venda daquele produto aconteça, piorando ainda mais a necessidade de capital de giro.

E para que você saiba saiba como sair dessa situação, te convido a conhecer 4 estratégias para deixar de vender e não ver a cor do dinheiro.

3. Suas vendas diminuíram, mas você ainda tem lucro?

Os produtos que você continua vendendo devem ser mantidos, pois são eles quem sustentam o lucro da sua empresa. Tudo bem?

Cá entre nós – em time que está ganhando, não se mexe, concorda?

Do contrário, uma simples ação pode alavancar ainda mais os resultados da sua empresa ou causar uma queda nas vendas.

É um risco que você deve analisar.

Já os que congelaram em estoque, necessitam ter giro ou será o mesmo que ter dinheiro parado.

Nesse caso, o ideal é que você trabalhe políticas de descontos e ofertas para garantir que você consiga vender com pouco ou até mesmo nenhum lucro.

Essa operação vai garantir o caixa da sua empresa.

Mas fique atento, vender no zero a zero, sem lucro ou prejuízo, é uma estratégia para o curto prazo, uma forma de enfrentar a crise.

Você não pode perdurar essa estratégia após esse período, ou estará comprometendo a vitalidade da sua empresa.

4. Suas vendas diminuíram e você está sem lucro algum?

Esse é o cenário mais desafiador, porém, não se desespere. É possível sair dele.

Como não temos lucro e o volume de vendas caiu, consequentemente o faturamento diminuirá impossibilitando que você atinja o ponto de equilíbrio operacional do negócio.

Lembrando: o ponto de equilíbrio operacional é o quanto você precisa faturar para que seu lucro seja suficiente para cobrir todos os custos.

Para tentar alcançá-lo, o ideal é reduzir os custos fixos, procurando fazer cortes de custos emergenciais.

É um momento de exige a revisão de toda a sua precificação dos produtos da sua empresa, pois qualquer forma de gerar o mínimo de lucro possível e reduzir os prejuízos é extremamente válida.

Pensando em formas de melhorar a sua precificação e otimizar seu lucro, indico a você este artigo sobre precificação de produtos.

Em casos mais extremos, procure conversar com os stakeholders da sua empresa para estudar a possibilidade de interromper as operações por alguns meses e segurar o caixa

Claro, essa é uma decisão de peso e não pode ser tomada por impulso ou achismo. É necessário analisar e estudar a fundo o cenário antes de tomar qualquer ação.

Pode ser uma decisão dolorosa, mas às vezes, se retirar do campo de batalha por algum tempo em prol da recuperação, te ajuda a sobreviver à guerra.

Conclusão

Todos os cenários vão exigir diferentes estratégias para que a operação do seu negócio continue e não comprometa seus resultados. Podemos notar que, independente da sua realidade, esteja você vendendo ou não, lucrando ou não, é necessário manter dinheiro em caixa nesse momento.

Dessa forma você diminui os riscos relacionados à falta de capital de giro e evita a quebra da sua operação pela falta de caixa na empresa.

Por isso quero te convidar a baixar a calculadora de capital de giro do Preço Certo.

Com ela você conseguirá organizar e ter controle sobre o capital necessário para fazer seu negócio funcionar.

 

 

Conteúdos Relacionados com Gestão

Como lidar com condições extremas do fornecedor?

5 dicas para cortar gastos na sua empresa

O que fazer para reduzir os impactos da crise no caixa da empresa?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.